State of the Satellite Industry: a indústria de satélites em 2020

A consultoria Bryce Space and Technology divulgou recentemente a mais nova edição de seu relatório anual, State of the Satellite Industry, que traz números sobre o universo dos satélites em contexto global no ano de 2020. Para saber também sobre os dados publicados com relação ao ano anterior, confira nosso texto sobre o assunto.

De um modo geral, a consultoria demonstra otimismo para a indústria de satélites nos próximos anos, chamando a atenção para um aumento na acessibilidade e produtividade. Aliados a novas capacidades constantemente descobertas para os satélites, a empresa prevê que a indústria verá um crescimento econômico e uma melhora na segurança e sustentabilidade de seus serviços.

O relatório da Bryce mostra o contínuo aumento na receita global do mercado espacial, indo de US$ 366 bilhões em 2019 para US$ 371 bilhões em 2020 – um aumento de quase 1,4%. O mercado de satélites, especificamente, foi responsável por cerca de US$ 271 bilhões deste montante, o que equivale a uma parcela de 73% do total.

Quanto a esta receita, o documento revela que a maior parte é proveniente de serviços ofertados por satélites e por equipamentos terrestres, que juntos arrecadaram pouco mais de US$ 250 bilhões – 94% do total. Dentre estes, os que mais contribuíram para a receita foram serviços de televisão, com US$ 88,4 bilhões, e equipamentos de GNSS (Global Navigation Satellite Systems), com US$ 103,4 bilhões.

As indústrias de lançamentos e de construção de satélites, por sua vez, foram responsáveis por uma receita de US$ 17,5 bilhões. Outro dado interessante desta edição do State of the Satellite Industry sobre o tema mostra como a construção destes equipamentos se concentra mais nos Estados Unidos, país que arrecadou mais da metade do rendimento global neste segmento.

Por fim, o relatório também indica uma mudança relevante no cenário de satélites no último ano: contrariando as tendências observadas anteriormente, as missões para comunicações comerciais e sem fins lucrativos representaram, em 2020, quase metade das operações de satélites no mundo. Além disso, o número de satélites operacionais também aumentou em um ritmo mais acelerado, indo de cerca de 2.500 equipamentos para quase 3.400.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe oferecer uma melhor experiência de navegação. Ao navegar neste site, você concorda com o uso de cookies.