Congresso Latinoamericano de Satélites – O mercado com o 5G: as próximas etapas

O painel 6 do Congresso Latinoamericano de Satélites, “O mercado com o 5G: as próximas etapas”, aconteceu no segundo dia do evento, em 1º de setembro, e reuniu representantes importantes do setor. Estiveram presentes Fábio Alencar, presidente da Abrasat, Marcos Vinícius Cruz, da Anatel, Gunnar Bedicks, diretor da Entidade Administradora de Digitalização (EAD) e da TV Perfeita, e Luis Otávio Marchezetti, vice-presidente de Tecnologia da Sky.

O principal tema discutido foi a questão da liberação do espectro, na banda C, para o uso do 5G no Brasil, com a criação da Entidade Administradora da Faixa de 3,5 GHz (EAF) pela Anatel para coordenar este processo. A EAF tem como referência a EAD, que obteve sucesso anos antes com a digitalização das TVs no Brasil e consequente liberação de faixa para uso do 4G.

Como representante das empresas de telecomunicações por satélite, Alencar focou no processo de cadastramento no sistema da Anatel das estações que operam na faixa de interesse para o 5G. Para o presidente da Abrasat, o processo é muito importante porque o não cadastramento impacta negativamente as emissoras e, consequentemente, o setor de satélites. No entendimento de Alencar, campanhas de esclarecimento e incentivo devem ser conduzidas para que ninguém seja prejudicado.

O vice-presidente de Tecnologia da Sky, Luis Otávio Marchezetti, também demonstra preocupação com o processo de liberação da faixa, principalmente no que diz respeito a possíveis problemas de interferência que podem acontecer em um cenário negativo da migração.

O trabalho de digitalização das TVs e consequente liberação do espectro para uso do 4G que vem sendo realizado pela EAD foi mostrado com maiores detalhes por Gunnar Bedicks, que dirigiu todo o processo. Por meio de números e gráficos, o diretor da TV Perfeita deixou claro como um projeto de alta complexidade pode ter sucesso mesmo inicialmente com poucas informações disponíveis sobre as partes envolvidas.

Marcos Vinícius Cruz, representante da Anatel no painel, expôs os planos da agência para a liberação do espectro, explicando mais sobre o papel do EAF e do GAISPI (Grupo de Acompanhamento da Implantação das Soluções para os Problemas de Interferência). Otimista com base no sucesso anterior da EAD, Cruz por outro lado também se mostra preocupado por causa da maior complexidade do caso e dos prazos apertados.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe oferecer uma melhor experiência de navegação. Ao navegar neste site, você concorda com o uso de cookies.