Mercado de satélites HTS deve crescer mais de 400% até 2023

Uma das grandes novidades na indústria de satélites nos últimos anos é a chegada dos satélites de comunicação HTS (High Throughput Satellite). Esses novos satélites são capazes de fornecer uma capacidade até centena de vezes maior do que os tradicionais Wide Beams (Feixes Regionais), graças à cobertura de feixes spot com reuso eficiente de frequências. No final, isso significa redução de preços dos serviços ao consumidor e aumento de pessoas alcançadas pela conectividade.

O portal de estatísticas alemão, Statista, apresentou dados sobre o mercado global de satélites HTS. Os números mostram que esse mercado deve crescer de cerca de 3 bilhões de dólares em 2017 para quase 16 bilhões de dólares em 2023. Já o estudo realizado pela BIS Research, empresa de inteligência de mercado para tecnologias emergentes, intitulado “Global High-throughput Satellite Market, Analysis & Forecast, 2018 – 2023″, prevê que o crescimento desse mercado alcance 7,31 bilhões de dólares em 2023. Seja qual for o número, o fato é que os levantamentos convergem na previsão de crescimento.

Atualmente, o Mercado global de HTS está segmentado em seis categorias: banda larga, mobilidade, corporativo, governo, backhaul para celular e radiodifusão. Face a crescente demanda por conectividade de dados em todo o planeta, o consumidor do segmento banda larga dominou o mercado global HTS em termos de capacidade de receita em 2017. Mas no período de 2018 a 2023, devido a necessidade de crescimento de conectividade aérea e marítima, o mercado de mobilidade deve crescer a uma velocidade maior que outros segmentos citados, prevê a BIS Research.

No Brasil tivemos nos últimos dois anos o lançamento de sete satélites do padrão HTS e pelo menos mais três estão planejados até 2021. Estes satélites totalizarão mais de 300 Gbps de capacidade em órbita disponível para serviços de banda larga no Brasil, seja atendendo diretamente o consumidor final, seja provendo infraestrutura para redes terrestres com pontos de concentração de tráfego local.

Apesar de momentaneamente parecer existir volume significativo de capacidade HTS ainda não utilizada, os agentes desse mercado estão seguros de que com o ritmo acelerado das ativações das redes já planejadas e o aumento de demanda no tempo, esta capacidade será rapidamente consumida e novos investimentos serão necessários para acompanhar o crescimento da demanda, equilibrando este cenário, com enormes oportunidades de fornecimento de backhaul em regiões de difícil cobertura terrestre, banda larga residencial e mobilidade entre outras várias possibilidades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *