Tecnologia e modelo de distribuição para conectar todo o país

Os satélites de comunicação, que já são conhecidos como a única tecnologia capaz de prover conectividade em todo o território nacional, nos últimos anos, tiveram um avanço tecnológico significativo a partir do lançamento dos equipamentos de última geração, os HTS ou High Trhoughput Satellites. Esses satélites conseguem entregar massivamente grande capacidade de banda larga a preços significativamente mais baixos. Entretanto, tão ou mais importante que a evolução tecnológica, um modelo de distribuição também tem facilitado o acesso à internet, o chamado Wi-Fi Comunitário.

Esta é uma ótima notícia para mais de 3,4 bilhões de pessoas que ainda não estão conectadas à internet no mundo, número que representa 45% da população global, segundo dados do 2018 Q4 Global Digital Statshot. No Brasil, atualmente, uma em cada quatro pessoas não tem acesso à internet. Em números totais, isso representa cerca de 46 milhões de brasileiros que não acessam a rede ( Agência Brasil).

O modelo Wi-Fi Comunitário fornece conectividade de banda larga via satélite acessível e com alta velocidade para pessoas em lugares onde a conexão é lenta ou inexistente. Hotspots de Wi-Fi permitem que até comerciantes locais de pequenas cidades ofereçam aos clientes acesso à internet de forma pré-paga, utilizando uma solução que combina um terminal VSAT (Very Small Aperture Terminal) e plataformas de Wi-Fi.

Várias operadoras de satélite no país em parcerias com empresas de tecnologia já iniciaram o serviço de hotspot de Wi-Fi Comunitário via satélite. A vantagem é que este modelo pode ser implementado com baixo investimento em infraestrutura local, e prover serviço de internet com bom custo-benefício a lugares onde existem grandes lacunas entre demanda, custo e disponibilidade.

A solução de Wi-Fi comunitário realmente transforma a vida das pessoas. Além de alavancar o empreendedorismo local, tem o importante papel de promover a inclusão digital e principalmente social, uma vez que algumas pessoas estão isoladas da realidade em que a maioria de nós vivemos.

Finalmente, o benefício de isenção de ICMS, previsto pelo programa “Internet para Todos” do governo federal, que infelizmente ainda não saiu do papel, é mais uma iniciativa que poderia ajudar a democratizar cada vez mais a internet na vida dessas comunidades isoladas. Outros países na América do Sul já implementaram práticas de incentivo fiscal a regiões carentes e de baixa renda.

Em um país como o Brasil, em que milhões de pessoas não acessam a rede, onde mais de 13 milhões são beneficiários do Bolsa Família e 54 milhões necessitam da ajuda emergencial em função de epidemia de Covid-19, o mercado potencial para um modelo como o de Wi-Fi Comunitário é enorme e sua relevância maior ainda, na medida em que pode significar a democratização do acesso à internet.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *